Vitamina D e leite podem retardar a menopausa precoce

Data de criação 18/05/2017

Por Larissa Gomes - Diretora da SBEM-SP 

Recente estudo publicado no American Journal of Clinical Nutrition de uma grande coorte de enfermeiras, seguidas prospectivamente por mais de 20 anos, avaliando a ingesta de cálcio e vitamina D através de questionário, demonstrou que o cálcio e vitamina D proveniente de derivados lácteos tiveram uma correlação inversa com a idade da menopausa. 

O uso de suplementos de vitamina D não alterou idade da menopausa enquanto, contrariando os achados da dieta, a suplementação de cálcio aumentou o risco de menopausa precoce. Outros estudos já associaram previamente a ingestão de leite e derivados com menor risco de menopausa precoce, o que pode sugerir que não apenas o cálcio e vitamina D, mas outros elementos dos produtos lácteos possam estar influenciando idade da menopausa. 

Adicionalmente, quando foi avaliado o impacto isolado do cálcio e vitamina D, os resultados foram atenuados já que esses constituintes no leite sempre estão associados, sendo difícil avaliar o real impacto de cada um, lembrando sempre que os leites nos Estados Unidos são fortificados com vitamina D. 

Portanto, leite e derivados parecem estar envolvidos na manutenção da reserva ovariana. Porém, novos estudos confirmando esses achados é fundamental.

A revista Veja também comentou sobre o estudo. Para ler, acesse: http://veja.abril.com.br/saude/vitamina-d-reduz-risco-de-menopausa-precoce-revela-estudo/

Atualizada em: 18/05/2017

Tópicos Relacionados

menopausa, vitamina D