Nódulos de tireoide

Data de criação 19/10/2011

Como identificar

Auto-exame: Coloque-se de frente a um espelho e observe como a tiróide sobe e desce ao engolir um pouquinho de saliva ou tomar um gole de água. Faça isso algumas vezes, lentamente. Quando existe um nódulo, aparece uma bolota, saliente, diferente da tiróide normal.

Exame clínico: O médico fará uma cuidadosa palpação do pescoço procurando por aumento e irregularidades na tiróide e nos ganglios cervicais e fará exames à procura de sinais de hipotiroidismo ou de hipertiroidismo. Se o especialista achar necessário, pedirá um exame de ultrassom da tiróide e, caso apareçam nódulos, fará a punção. Em seguida, a biópsia, feita com uma agulha fina, parecida com a que se utilza para coletar sangue, diagnosticará o problema.

Alerta: Não se deve fazer ultrassonografia do pescoço sem indicação precisa, pois nódulos de tiróide são muito frequentes. Acometem mais da metade da população. Assim, o ultrasom não serve como método de rastreamento porque a imensa maioria dos nódulos é benigna. Só deve fazer ultrassom quem tiver um nódulo clinicamente detectado, isto é, palpado por um médico, ou quem tiver risco maior para desenvolver nódulos maligno, como os indivíduos que sofreram radiação na região cervical, (por exemplo, para tratar de linfoma), que possuem parentes com câncer da tiróide (particularmente o carcinoma medular, que é familiar em cerca de 25% dos casos) ou que já sabe possuir uma doença tiroidiana benigna.

Incidência

São mais propensos a serem malignos os nódulos detectados em homens, em indivíduos acima de 60 anos ou em crianças, os nódulos que são muito duros  palpação, os nódulos que crescem muito rapidamente, que provocam rouquidão ou comprimem a traquéia (dificuldade de respiração) e os que aparecem com ganglios cervicais aumentados.

Sintomas

Os principais sintomas são locais: o indivíduo sente que tem algo crescendo no pescoço e pode ver o nódulo no espelho. A maior parte dos nódulos cursa com eutiroidismo, isto é, o paciente não tem hiper nem hipotiroidismo.

Tratamento

O tratamento do nódulo baseia-se em sua causa. Nódulos em indivíduos eutiroidianos, em que a citologia obtida por punção aspirativa com agulha fina afastou malignidade ou nódulos menores do que 1 cm (que nem precisam ser submetidos a punção aspirativa) são a grande maioria e podem ser controlados apenas com exames clínicos e ultrassonografia periódica (geralmente anual no início e em intervalos maiores com o decorrer do tempo). São mínimos os casos de nódulos malignos ou suspeitos. Esses devem ser encaminhados para cirurgia.

Fonte: Dra. Laura Sterian Ward

Atualizada em: 19/10/2011

Tópicos Relacionados

doenças, nódulos, tireoide